Seja Bem vindo!
NORTHON MOTTA-02/07/20
MARECHAL BEBIDAS- 17/11/22
CLUBE GAÚCHO - 27/03-2024
WEINERT - 05/01/2024
28/02/2024
trilegal-21/09/22
A RADIOCIDADE
Polícia

Duas pessoas são indiciadas por sequestro e morte de Emerson dos Santos, em Santo Ângelo

Duas pessoas são indiciadas por sequestro e morte de Emerson dos Santos, em Santo Ângelo
03/04/2024 às 09:04

Dois homens de 23 e 46 anos foram indiciados pela morte de Emerson Santos dos Reis, 32, ocorrida em fevereiro, em Santo Ângelo. O autônomo que fazia negócios com compra e venda de carros foi sequestrado quando chegava da academia e encontrado morto cinco dias depois em uma lavoura de Giruá, no noroeste gaúcho.

Segundo a Polícia Civil, os investigados foram indiciados por extorsão mediante restrição da liberdade da vítima com resultado morte e ocultação de cadáver. Os dois já estão presos, sendo um na Penitenciária Modulada de Ijuí. O inquérito foi remetido ao Ministério Público na última semana.

Autor confessor do crime, o acusado de 23 anos é apontado como executor do assassinato de Emerson. Durante a investigação, ele foi preso de forma temporária e, agora, a prisão foi convertida para preventiva. O outro acusado, de 46, cumpre pena na Penitenciária Modulada de Ijuí. A polícia chegou até ele porque era o titular da conta bancária para onde foram transferidos os valores cobrados durante a extorsão.

— Sempre que a vítima ligava para amigos e familiares, fornecia a conta desse homem. Durante a investigação, descobrimos que um conhecido da vítima fez um depósito de R$ 10 mil para essa conta. Também foram realizadas diversas tentativas de transferência das contas da vítima para a desse apenado — disse o delegado Rafael dos Santos, responsável pelo caso.

Apesar da conclusão do inquérito, as investigações ainda não chegaram ao fim, uma vez que o crime teve a participação de quatro pessoas e um dos suspeitos ainda não foi identificado.

— Temos algumas medidas pendentes com relação a uma perícia papiloscópica (análise de impressões digitais) e também de telefones celulares, bem como uma medida cautelar que foi solicitada para o Poder Judiciário, que também está pendente — pontua.

Outro envolvido no crime, de 24 anos, foi morto dias depois do sequestro em um local conflagrado pelo tráfico de drogas em Alvorada, na Região Metropolitana. De acordo com o delegado, a morte dele não tem a ver com o sequestro de Emerson.

— Conforme apurado, (esse homem) é a pessoa que planejou o crime e que entrou em contato com o apenado de Ijuí (para a execução). Logo, também seria indicado pela morte da vítima — destaca.

Um dos presos temporariamente não foi indiciado
Dois homens foram presos durante as investigações: o autor confesso do crime e outro homem, de 35 anos. Este último não está no inquérito policial em razão da falta de elementos que comprovem o real envolvimento dele no crime.

Segundo o delegado, havia indícios da participação dele porque um dos chips usados para fazer contato com a família durante a extorsão ao longo de sábado, quando Emerson já estava morto, estava em seu nome. Contudo, o fato do chip estar no nome dele não foi suficiente para o indiciamento.

— Hoje em dia qualquer um habilita um chip no nome de outro, basta ter um  CPF. Então achamos esse um elemento frágil para fins de indiciamento e outras situações que acabaram não se confirmando com relação a essa pessoa — afirmou o delegado.

Motivação
A investigação concluiu, ainda, que o objetivo do sequestro da vítima foi por questões financeiras e patrimoniais. A polícia identificou que, além de atuar de modo autônomo na compra e venda de veículos, Emerson também praticava agiotagem (empréstimo a juros), o que contribuiu para que se tornasse alvo dos criminosos.

— A vítima costumava se expor bastante nas redes sociais. Esse é mais um motivo que levou ele a se tornar um alvo porque, como agiota, ele tinha que ter um determinado valor para poder fazer esses empréstimos — disse o representante da Polícia Civil.

Por causa do estado avançado de decomposição, a perícia não conseguiu apontar a causa da morte. Porém, o autor confessor do crime afirmou que baleou a vítima depois que Emerson tentou tomar a arma dos sequestradores. Além disso, o homem não permaneceu em cativeiro, disse o delegado.

— Ele (Emerson) foi sequestrado às 22h e ficou sob o poder dos criminosos até a manhã do dia seguinte, rodando pelas rodovias, até que chegaram à área rural da divisa de Santo Ângelo e Giruá, onde abandonaram o carro. Apuramos que a vítima morreu entre as 6h e 7h da manhã desse dia — afirmou Santos.

Não há evidências que apontem a intenção dos sequestradores em matar Emerson previamente.

— A morte foi em decorrência da extorsão, quando ele (a vítima) teria tentado tomar a arma de um dos criminosos — termina.

 

g1rszh

28/02/2024
MARECHAL BEBIDAS- 17/11/22
WEINERT - 05/01/2024
A RADIOCIDADE
TRILEGAL - 09/04/23
NORTHON MOTTA-02/07/20