Seja Bem vindo!
NORTHON MOTTA-02/07/20
A RADIOCIDADE
trilegal-21/09/22
WEINERT - 05/01/2024
MARECHAL BEBIDAS- 17/11/22
Esportes

Dudu, ex-Grêmio, leva golpe de seu padrinho de casamento e perde R$ 18 milhões

Dudu, ex-Grêmio, leva golpe de seu padrinho de casamento e perde R$ 18 milhões
04/02/2024 às 11:02

O atacante Dudu, ex-Grêmio e atualmente no Palmeiras, descobriu que estava sendo vítima de um golpe financeiro. A Polícia Civil de São Paulo abriu inquérito para investigar Thiago Soubhia Donda, ex-assessor e padrinho de casamento do jogador, um ex-gerente da agência de um banco em São Paulo e um funcionário de um cartório na cidade. Os advogados do jogador alegam que o jogador perdeu mais de R$ 18 milhões nos últimos anos.

Em novembro do ano passado, a defesa de Dudu solicitou a instauração de inquérito no 15º Distrito Policial de São Paulo, que começou, então, a investigar as partes denunciadas. No centro da denúncia está Thiago Donda, amigo por anos de Dudu e uma das pessoas em quem o jogador mais confiava. Depois da denúncia, o atleta cortou relação com o seu ex-assessor e desfez a amizade de mais de uma década.

A denúncia aponta que Thiago usou fichas internas com assinatura falsas de Dudu para desviar mensalmente dinheiro de uma conta no banco Bradesco em que o atacante recebia do Palmeiras os direitos de imagem, que, por lei, podem corresponder a até 40% do salário total de um jogador de futebol.

Dudu suspeita que Thiago desviava dinheiro de uma de suas contas desde 2015, ano em que o atleta se transferiu do Grêmio ao Palmeiras e contratou os serviços do assessor para lhe ajudar nas tarefas do dia a dia. Thiago foi ganhando a lealdade e confiança do jogador e passou a ter acesso às finanças do atacante e a movimentar as contas bancárias do atleta sem ele saber.

O Bradesco informou que “está atendendo todas as solicitações da polícia e tratando o assunto diretamente com o cliente e seu representante”. A assessoria de imprensa de Dudu disse que o caso está sendo conduzido pela equipe jurídica do atleta, liderada por Adriana Cury e Cid Vieira, e que “os advogados já tomaram as medidas cabíveis junto às autoridades e confiam no trabalho da Justiça”.

Fraude financeira

Dudu descobriu somente em agosto do ano passado que estava sendo vítima de seguidas fraudes financeiras. Segundo consta no pedido de abertura de inquérito, o atleta foi surpreendido ao saber que a sua empresa, Dudu Sete Agenciamento de Imagens Esportivas, aberta para receber os direitos de imagem, não recolhia impostos desde 2018, e que havia parcelas pendentes de pagamentos dos impostos, além da existência de execuções ajuizadas desde 2022. Tudo sem o aval do camisa 7.

O profissional responsável pela contabilidade da empresa de Dudu alegou ao jogador que não havia lhe informado da falta de pagamento dos impostos por ordem de Thiago e indicou um escritório de advocacia de sua confiança, no bairro de Moema, ao assessor do atleta, para que ele evitasse bloqueios dos bens de Dudu.

Dudu estranhou e questionou o contador, já que na conta em que recebia os direitos de imagem deveriam estar os valores reservados para o pagamento dos impostos referentes à sua empresa e o valor líquido seria depositado para uma conta de pessoa física do atacante em outro banco. O atleta demorou a tomar pé da situação porque não costumava acessar essa conta no Bradesco. Ele tem uma conta pessoal em outro banco que usa com mais frequência, já que é de lá que sai o dinheiro para pagar suas despesas.

Assinatura falsa 

Dudu contratou uma perícia, que constatou, por meio de laudo grafotécnico, que as assinaturas de Dudu em cheques e fichas internas bancárias eram falsas. “São falsas as atribuídas a Eduardo Pereira Rodrigues que figuram nos questionados documentos peças de exame deste parecer grafotécnico, vez que não foram produzidas por punho daquele escritor, em face de seus lançamentos padrões de confronto”, diz o laudo.

Inicialmente, os advogados do atleta calcularam que o valor referente à quantia desviada em favor de Thiago e de sua empresa, a BWF assessoria e agenciamento, por meio das fichas bancárias e cheques com assinaturas falsas era de R$ 8 milhões. Depois, constatou-se que o valor alcançava mais de R$ 14 milhões. Uma empresa de auditoria foi contratada para devassar o caso e levantar o valor total desviado. O prejuízo chega a R$ 18 milhões, mas as contas ainda não terminaram e o desfalque pode ser maior.

Resposta dos envolvidos

O Bradesco informou que “está atendendo todas as solicitações da polícia e tratando o assunto diretamente com o cliente e seu representante”.

A assessoria de imprensa de Dudu disse que o caso está sendo conduzido pela equipe jurídica do atleta, liderada por Adriana Cury e Cid Vieira, e que “os advogados já tomaram as medidas cabíveis junto às autoridades e confiam no trabalho da Justiça”.

A RADIOCIDADE
MARECHAL BEBIDAS- 17/11/22
WEINERT - 05/01/2024
NORTHON MOTTA-02/07/20
TRILEGAL - 19/02/24