Seja Bem vindo!
MARECHAL BEBIDAS- 17/11/22
A RADIOCIDADE
NORTHON MOTTA-02/07/20
WEINERT - 05/01/2024
trilegal-21/09/22
Política

Vereador de Sapiranga tem mandato suspenso por 15 dias após série de discursos transfóbicos

Vereador de Sapiranga tem mandato suspenso por 15 dias após série de discursos transfóbicos
07/12/2023 às 08:12

Ado Machado (MDB) foi alvo de sete denúncias recebidas por meio da Câmara Municipal, antes de sessão que determinou seu afastamento temporário; Polícia Civil investiga caso

 

O vereador Ado Machado (MDB) teve o mandato suspenso por 15 dias após uma série de discursos transfóbicos no plenário da Câmara de Sapiranga. O fato foi denunciado ao Legislativo municipal em sete oportunidades por representantes da ONG Outros Olhares e encaminhado para a Ouvidoria. Em uma das vezes, a própria ONG fez o encaminhamento. Na terça-feira (5), os vereadores votaram e aprovaram a suspensão do mandato.

Ainda na terça, o parlamentar foi encaminhado à Delegacia de Polícia de Sapiranga sob alegação de ter cometido novamente o crime de transfobia durante uma sessão da Câmara. A denúncia foi apresentada por três pessoas transexuais, representantes da ONG. As três estavam presentes no local e sentiram-se ofendidas com a fala do parlamentar.

Em seu discurso, o vereador, que é conhecido como "Ado, O Gari" disse que não é preciso ter muito estudo para diferenciar transfobia de homofobia. Ainda, conforme o vereador, "ninguém se torna transfóbico ou homofóbico se não concordar com alguma coisa, e só se torna se querer (sic) matar uma pessoa trans por opção".

Antes de ser encaminhado à delegacia, onde ele e outras três pessoas foram ouvidas pela delegada Micheli Arigony, que investigará o caso, foi lido durante a tarde de terça-feira o relatório final da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar. O documento é referente a uma denúncia protocolada contra o vereador ainda em setembro deste ano. O caso também envolve a prática do crime de transfobia e discurso de ódio.

Segundo a delegada Michele, foi instaurado um inquérito para esclarecer o caso e analisar a fala e o tipo de conduta do parlamentar.

Procurado pela reportagem, o vereador disse que foi afastado devido a publicação de um vídeo, onde diz que é contra pessoas nascidas biologicamente homens usarem banheiros femininos em lugares públicos. Em relação ao episódio durante a sessão na Câmara, o vereador alegou que o termo utilizado foi o motivo para que as representantes da ONG Outros Olhares distorcessem o seu discurso

— Quando eu me referi ao movimento como os trans, eles nem me deixaram mais falar, aí a polícia foi chamada — afirmou o parlamentar.

 

 

g1/zh

 

TRILEGAL - 19/02/24
A RADIOCIDADE
WEINERT - 05/01/2024
NORTHON MOTTA-02/07/20
MARECHAL BEBIDAS- 17/11/22