Seja Bem vindo!
Política

Farmácia Básica da Saúde em Santo Ângelo já repassou mais de 1,7 milhão medicamentos

18 de maio de 2020
Curta e Compatilhe

Atendimento segue normalizado, de segunda a sexta-feira das 7h30min às 16h30min, na Secretaria Municipal de Saúde

As farmácias básicas e especializadas da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Santo Ângelo seguem com suas atividades normais mesmo com a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

Na Farmácia Básica Central da SMS nos quatro primeiros meses deste ano foi registrado o atendimento a 21.311 pessoas, com a distribuição de 1.720.767 de medicamentos no período, o que se refere a comprimidos, frascos e bisnagas. O investimento total é de R$ 196.944,22, no período de janeiro a abril, somados recursos da União, do Estado e contrapartida do município.

De acordo com a farmacêutica responsável pela Unidade de Farmácia Básica da SMS de Santo Ângelo, Simone Alencastro, o atendimento na Farmácia Básica Central continua com o atendimento normal, atendendo de segunda a sexta-feira das 7h30min às 16h30min.

Segundo a farmacêutica Fernanda Teichmann, também responsável pela Unidade de Farmácia Básica, os medicamentos distribuídos pelo município fazem parte do Componente Básico e seguem uma lista que é composta por 108 itens. “Esta lista é baseada na Relação Nacional de Medicamentos (Rename) e entre os quais, estão os antibióticos, analgésicos, anti-inflamatórios, suplementos vitamínicos, anticoncepcionais, broncodilatadores, anti-hipertensores, descongestionantes nasais, xaropes expectorantes, repositor hormonal, medicação destinada à saúde mental, corticoides, diuréticos, hormônios tireoidianos e tratamentos para verminoses, piolho, alergia, úlcera péptica, angina, vômitos e diarreia”, explica.

FARMÁCIA ESPECIALIZADA

O município conta com o Componente Especializado que contempla outros tratamentos, cujos critérios são o alto custo, doenças consideradas raras e o uso continuado. “Esses medicamentos podem ser solicitados para o Estado. São mais de 200 diferentes itens, contemplando tratamentos para hepatite, glaucoma, esquizofrenia, artrite, lúpus, Parkinson, Alzheimer, insuficiência renal, asma, triglicerídeo elevado, Doença do Chron, acne severa, transplantados, fibrose cística, endometriose, psoríase, intolerância a lactose, alguns tipos de insulina e outros”, explica Simone.

Todos os moradores podem retirar medicação nas farmácias básicas, basta apresentar o receituário médico e o cartão do Sistema Único de Saúde (SUS). Se for medicação controlada é necessária a apresentação da identidade do paciente.

Os medicamentos de componente básico são comprados e distribuídos pelo município; e os de componente especializado são adquiridos pelo Estado e distribuídos pela Secretaria Municipal de Saúde.

Texto/foto: Rodrigo Bergsleithner

Deixe uma resposta