Quarta-Feira, 13 de Dezembro de 2017
15.799.186 Visitas
Rádio Web - 24 horas Vídeos Curta nossa Fan Page no Facebook Entre em contato


Estátua de Noel Guarany é entregue oficialmente pela Confraria do Icamaquã a comunidade de Bossoroca; VEJA VIDEO

09/05/2017

MONUMENTO NOEL GUARANY (Noel Fabrício da Silva).

Uma homenagem do Telejornalismo a quem faz a verdadeira história de seu povo. ( Radiocidadesa)

Também presente ao evento Ex-deputado Carlos Cardinal

A construção do Monumento Noel Guarany foi um sonho em que a Confraria do Icamaquã esteve envolvida num esforço que deu certo.

A sugestão inicial partiu do confrade Vasco Rodrigues sendo aceita por unanimidade dos confrades.

A criação da estátua foi do escultor Vinícius Ribeiro e o modo em que o pajador Noel Guarany se apresenta com o pé numa voçoroca  foi porque o nome Bossoroca, em tupi guarani quer dizer Iby-Soroc, ou seja, rasgão no solo, barroca, voçoroca.

Esta estátua  também é uma forma de dizermos, pela sua simbologia,  que nós somos missioneiros, que exaltamos as Missões e que queremos manter  vivos e acesos os nossos sentimentos de amor à terra, de sentimento grande de pátria e querência. E a obra e a imagem de Noel Guarany representarão muito bem este sentimento.

Num primeiro momento pensou-se que o projeto, no todo, custaria cerca de R$ 50.000,00 mas com uma atitude mais ousada de se fazer a estátua com 4 metros de altura e mais a base com 3 metros de altura juntamente entorno, ou seja, a praça composta por calçada, muros e paisagismo e as placas com os nomes de todos os colaboradores o projeto custou R$ 118.000,00 sendo hoje trazendo todas as despesas para o presente o valor ultrapassa e longe a casa dos R$ 150.000,00.

O Monumento Noel Guarany  foi construído sem recurso público, mas somente com recursos de forma cooperativa através de doações de pessoas amigas da obra do pajador (in memoriam) e amigos da Confraria do Icamaquã de Bossoroca espalhador em diversas localidades do Rio Grande do Sul. A Secretaria de Obras do Município, no que foi possível, ajudou em alguns momentos com apoio logístico.

Foi um árduo trabalho na busca dos recursos em que diversos membros da Confraria enfrentaram durante nove meses.

O monumento está assentado num terreno público  onde se situava o antigo Mangueirão na entrada da cidade de Bossoroca há uns 50  metros de distância da passagem dos trilhos da Rede Ferroviária Federal. Cabe ressaltar que esse Embarcadouro popularmente chamado de Mangueirão era de propriedade da Associação Rural de São Luiz Gonzaga em Bossoroca onde funcionou como um verdadeiro porto seco abrigando tropas de gado de Bossoroca e municípios vizinho que vinham repontadas a pé pelos tropeiros para, do Mangueirão, ser embarcados no trem maria fumaça desde 20 de julho de 1948 até meados do ano de 1980.

O monumento depois de inaugurado dia 07 de novembro de 2015, na ocasião, foi doado pela Confraria do Icamaquã ao município de Bossoroca que ficou com o domínio público.

A idéia de se fazer o monumento envolvendo a figura de Noel Guarany é porque ele foi um artista de saudosa memória e também foi e é uma referência, o maior cantor missioneiro de todos os tempos.

Ele é um dos chamados quatro troncos missioneiros juntamente com Jayme Caetano Braun, Cenair Maycá e Pedro Ortaça.

Soube cantar e encantar platéias.

Sua obra é de uma grande profundidade e pesquisa, pois ele soube ao longo da vida fazer uma excelente garimpagem em termos de pesquisa.

Ele nunca negou as suas raízes.

Disseminou o nome e a identidade de Bossoroca.

É bem verdade que Noel era um homem temperamental, de pavio curto, polêmico e, às vezes, de personalidade irreverente.

Mas ele soube, e muito bem, carregar dentro de si inúmeras virtudes, foi genial e genioso, pajador, guitareiro, excelente intérprete, um músico incontestável com seu belo timbre de voz e um excelente instrumentista.

Ele cantou e sobre representar, de modo autêntico, a memória dos guaranis e tudo o que envolver o homem interiorano e suas raízes.

Ele não teve medo de denunciar numa de repressão, de expor suas verdades e pontos de vista.

E a obra dele é respeitada e reconhecida até hoje.

Então, por tudo isto o Noel Guarany se tornou marco da música missioneira.

A Confraria do Icamaquã, com esta realização, entendeu que Bossoroca precisa criar novas alternativas para que o turismo seja mais intensificado.

As maiores indústrias no mundo geradoras de renda são a indústria bélica (a indústria de armas), depois a indústria farmacêutica (dos remédios) em seguida a indústria do turismo.

Então turismo é algo interessante que agrega de renda e une os povos.

O município de Bossoroca não é um município que seja bem servido por exuberantes belezas naturais, cascatas, montanhas.

Bossoroca não tem um produto turístico chamativo e interessante como é o caso de São Miguel das Missões que tem as ruínas e toda uma história marcante.

Então, o que restou segundo os confrades foi investir no turismo histórico e cultural e, neste caso, a obra e a memória de Noel Guarany é um dos melhores caminhos para a concretização deste intento.

Há municípios aqui no Rio Grande do Sul que já despertaram e estão despertando cada vez mais para o turismo como é o caso de Gramado, Canela e Nova Petrópolis.

Nós precisamos nos antecipar. Felizmente São Luiz Gonzaga tem a estátua de Jayme Caetano Braun e já organizou um centro cultural.

E nós aqui em Bossoroca, como forma de incentivo ao turismo, queremos ver, o quanto antes, a realidade da estátua de Noel Guarany, sendo motivo para que mais pessoas visitem Bossoroca e nossa região.

O escultor Vinícius Ribeiro, verdadeiro artista, este homem conceituado e competente, de modo muito sábio, disse que ter uma estátua do Noel Guarany em Bossoroca foi um objetivo nobre, pois a arte une os povos, gera renda e tornará Bossoroca ainda mais conhecida e reconhecida.

Como forma de reconhecimento e gratidão da Confraria para com os colaboradores a entidade mandou fazer placas metálicas gravadas a laser onde os doadores de recursos igual ou superior a R$ 500,00 tiveram seus nomes em destaque e os demais doadores de recursos menores que R$ 500,00 tiveram os seus nomes numa única placa disposta em ordem alfabética.

Dia 06 de maio de 2017, às 17:00 horas, a Confraria fez um ato informal e uma entrega simbólica das placas que foram afixadas na base do monumento para perpetuarem-se no tempo.

O evento contou com a presença do prefeito municipal José Moacir Fabrício Dutra, o vereador Leomar Ferreira, Diamantino Marques do Santos e Diomedes Rech presidente e vice-presidente da Cermissões que foi a maior colaboradora para com o monumento. Este ato contou também com a presença de Cândido Brasil membro integrante da Estância da Poesia, de Porto Alegre, também a presença do ex-prefeito de Bossoroca e colaborador Ardi Jaeger, artistas, representantes da imprensa, ou seja, do Portal das Missões de Santo Ângelo, do Portal Rádio Cidade Santo Ângelo, da Rádio Cidade de Bossoroca e pessoas da comunidade.

Este foi o último compromisso da Confraria do Icamaquã para com o monumento que agora é municipal, pois a Confraria do Icamaquã através de seus membros havia empenhado a palavra de que colocaria as placas e assim fez concretizando, por completo, o sonho de fazer e concluir essa obra motivadora de turismo.

QUEM FOI NOEL GUARANY

NOEL GUARANY

Noel Fabrício da Silva, de nome artístico Noel Guarany, nasceu em 26-12-1941, nesta terra missioneira.

Filho de João Maria Fabrício da Silva e de Antonina Borges do Canto.

Neto de Bazilio Fabrício da Silva e de Ernestina Antunes da Silva e de Ozório Borges do Canto e Clemência Gonçalves do Canto.

Uniu-se em matrimônio com Neidi Fabrício da Silva.

Pai de Andrea Jara de Castilhos, Lia Antonina Fabrício da Silva, Linda Guacira Fabrício da Silva e Laura Jacira Fabrício da Silva.

Aprendeu, na adolescência e de maneira autodidata, o idioma guarani e soube compor, tocar e cantar.

Na década de 1960, esteve em vários países latino-americanos, onde adquiriu ensinamentos que ajudaram na base da sua obra.

No final da década, apresentou alguns programas radiofônicos nas rádios de Cerro Largo e São Luiz Gonzaga, bem como nas rádios Gaúcha e Guaíba, de Porto Alegre - RS.

Em 1970, lançou em conjunto com Cenair Maicá um compacto simples.

Em 1971, gravou o  LP Legendas Missioneiras, que traz, entre outras, parcerias com Jayme Caetano Braun, Glênio Fagundes e Aureliano de Figueiredo Pinto.

Em 1973, sai o LP Destino Missioneiro, bem como traz composições próprias e de Barbosa Lessa e uma parceria com Aparício Silva Rillo.

Seu próximo LP é Sem Fronteiras, lançado em 1975, com  músicas que acabaram se tornando clássicos do cancioneiro gaúcho, temas missioneiros recolhidos e adaptados por Noel Guarany, entre outras.

No ano de 1976, gravou em parceria com Jayme Caetano Braun, de maneira independente, o LP Payador, Pampa, Guitarra. Gravado parte na Argentina e parte em São Paulo.

Em 1977, relançou o LP Legendas Missioneiras, de 1971, com o título de Canto da Fronteira.

Em 1978 sai o LP Noel Guarany Canta Aureliano de Figueiredo Pinto.

Em 1979, o novo disco chama-se De Pulperias que, dentre outras, conta com músicas de Mario Millan Medina, Anibal Sampayo e Atahualpa Yupanqui.

Em 1980, sai Alma, Garra e Melodia. Neste mesmo ano ocorre o show no Cinema Glória, na cidade de Santa Maria, que mais tarde, em 2003, viria a se tornar o disco Destino Missioneiro - Show Inédito.

Em 1982, é lançado o LP Para o Que Olha Sem Ver, contando com a participação de Atahualpa Yupanqui e quatro composições de João Sampaio, além de outras de inspiração folclórica. Neste ano, Noel Guarany já apresenta os primeiros sintomas da doença começando a afastar-se dos palcos.

Em 1985, retira-se definitivamente dos palcos, em cumprimento ao prometido na carta de 1983.

No ano de 1988, em conjunto com Jorge Guedes e João Máximo, lança o disco A Volta do Missioneiro com obra de Amauri Beltrão de Castro dentre outras.

Até o seu falecimento foi ficando cada vez mais debilitado por uma doença degenerativa no cérebro, permaneceu recolhido em seu sítio na localidade de Vila Santos, no município de Santa Maria - RS.

Faleceu no dia 06-10-1998, na Casa de Saúde de Santa Maria, tendo sido sepultado em Bossoroca.

A CONFRARIA DO ICAMAQUÃ

A CONFRARIA DO ICAMAQUÃ, fundada em 05-05-2013, através dos seus membros, presta a sua homenagem à memória de Noel Fabrício da Silva, NOEL GUARANY, artista completo, homem contestador, de convicções democráticas e libertárias. Uma referência, verdadeiro mito e marco da música missioneira.  Soube cantar e encantar platéias. Sua obra é de grande profundidade e pesquisa. Divulgador do nome e da identidade de Bossoroca. Carregou dentro de si inúmeras virtudes, foi genial e genioso, pajador, guitarreiro, compositor, excelente músico, intérprete com seu belo timbre de voz e um grande instrumentista. Soube representar, de modo autêntico, a memória dos guaranis e tudo o que envolve o povo interiorano e as nossas raízes.

A sugestão deste monumento partiu do confrade Vasco Itamar Nascimento Rodrigues tendo aceitação unânime pelos membros da Confraria do Icamaquã.

A estátua foi gestada pelo escultor Vinícius Ribeiro.

A elaboração do projeto do entrono paisagístico foi do bossoroquense Luiz Hevando Rocha Medeiros e da jaguariense Ângela Patias.

A mão-de-obra foi através do construtor Saulo da Rosa Carvalho e dos operários João Carlos Cardoso Ferreira, Paulo César da Silva Nascimento, Santo Justino Cortes da Silva e Sérgio Rodrigo da Silva Nascimento.

Supervisão técnica foi do engenheiro José Moacir Fabrício Dutra.

A liberação da área pública de 321,21 m2 neste local que, popularmente, era denominado de Mangueirão, conforme Matrícula R-1525, aconteceu através da Lei Municipal nº. 4079,  no mandato do prefeito Ardi Jaeger com aprovação unânime dos vereadores da Legislatura 2013-2016.

Na data da inauguração, 07-11-2015,  foi lavrado em ata que a estátua, sua base  e o entrono paisagístico deste projeto  foram doados, em definitivo, pela Confraria do Icamaquã ao município de Bossoroca.

A concretização deste sonho deu-se em virtude de um trabalho exercido pela diretoria da Confraria do Icamaquã no ano de 2015, que entendeu que a memória de Noel Guarany deve ser preservada assim como o incentivo ao turismo como fonte geradora de renda para o município de Bossoroca.

Muitos foram os doadores, parceiros e apoiadores deste projeto cujos nomes serão afixados em placas na base da estátua.

Viva a memória de Noel Guarany!

Bossoroca – RS, 07 de novembro de 2015.

CONFRARIA DO ICAMAQUÃ.

Afrânio Batista Marchi – Confrade Maior. João Carlos Oliveira Antunes – Vice-presidente e Diretor Artístico-Cultural. José Dirceu Dutra – 1º Secretário. José Américo M. Almeida – 2º Secretário. Avelino Tadeu Sá Quevedo – 1º Tesoureiro. Dilvar  Marques – 2º Tesoureiro.

Conselho Fiscal: Alfredo Duarte Cardinal, Elvio Antonio Gomes e José Paulo Krejci Urach.

Comissão de Apoio: Anderson Nunes Aquino, Anderson Lubas Espíndola, Marco Antonio Guerra, Oly Gomes da Silva, Pedro Rodrigues de Freitas e Vasco Itamar Nascimento Rodrigues.

Demais Membros: Elvio Antonio Gomes, Glacir Cunha de Oliveira, Gladis Oliveira Cardinal, Gorge Renato Silveira Bitencourt, João Antonio Ávila, Lodonho Nascimento Pereira, Marco Antonio Moraes, Mara de Fátima Antunes Martins, Mirian Nascimento Manzoni, Nelson e Marilva Hoffmann.

Textos editados por João Antunes especial ao Telejornalismo/2017

 

 

 

 

 

 

Confira Galeria


Comentários
Leia Também


Santo Ângelo

Max: 35º
Min: 23º

Predomínio de Sol


Radio Cidade Santo Ângelo - RS - Brasil